quinta-feira, 27 de junho de 2013

Foto da Semana #3- Anacau

Estavam ansiosos por isso? Eu estava! A Foto da Semana é um projeto do qual estou gostando muito, e me empolgo com todas as fotos que coloquei e ainda vou colocar aqui.

A fotógrafa de hoje, também convidada, é a Anacau (Ana Machado). A foto que ela mandou é deslumbrante, olha só:

Do sonho, do desejo, do amor.


"Em relação a essa Foto, resumo em: Arte, cor e vida.

A fotografia pra (mim) é um processo de amadurecimento assim como a vida. Sou inspirada pelas cores, pelos sonhos, pelo desejo, pelo amor. E apaixonada por cada momento único que consigo congelar através da fotografia, pois, o melhor equipamento é aquele que você tem."

Mágica, não? Só posso dizer um grande obrigada à Ana por ter participado do projeto e me dado a oportunidade de ter algo assim no meu humilde blog.

E vocês já sabem, não é? De onde veio isso tem muito mais. Acesse a galeria da Anacau e veja suas outras fotografias. Há lindas fotos de olhares, natureza, paisagens, e muito mais.

Lembrando que todos os direitos da foto pertencem à Anacau. Entre em contato com ela antes de usar alguma de suas autorias.

Pra você que ainda não conhece o projeto, clique em Projeto Foto da Semana, no início do blog, e também veja como participar e as edições anteriores.

Até a semana que vem, com mais uma edição muito especial.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Preconceito contra reality shows musicais

Os reality shows musicais estão vivendo um grande momento: vários dos artistas descobertos nestes lugares estão ganhando/já ganharam o mundo: One Direction, Kelly Clarkson, Carrie Underwood, Leona Lewis, Olly Murs, Jordin Sparks, Adam Lambert, Phillip Phillips e por aí vai...

Chegar ao sucesso é também chegar à boca do povo, anônimos, críticos de música e dos próprios músicos. E muitos deles têm uma visão negativa quanto a esse modo de música. Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana e atual vocalista do Foo Fighters, diz defender o velho modo de fazer música: ir para uma garagem, fazer um som muito ruim, até que um dia, em suas palavras, a banda se tranforma no Nirvana.



Hmm...Será que esse é o único jeito válido? Todos estamos buscando por oportunidades. Programas de talento com American Idol, The Voice, X Factor, são oportunidades para pessoas que já lutaram por muito tempo finalmente se mostrarem ao mundo.

Um outro argumento do Dave foi que os jurados humilham muitas pessoas que, por isso, podem desistir de seu sonho, e aí a sociedade pode acabar perdendo um grande talento. Com isso eu concordo. Esses programas avaliam o fator talento? Sim. Mas também são shows, estão ali para ter audiência e fazer dinheiro, e com isso, infelizmente, muitas pessoas "pagam o pato", nos submetendo a um show de palhaçadas ridículas.

A cantora Emeli Sandé, que já esteve no nosso Dica do Blog, já chegou a opinar que as pessoas deviam evitar ir a esse tipo de programa, pois eles não inspiram seus participantes a serem verdadeiros artistas.

Em parte, eu concordo. Assistindo a algumas partes desse último American Idol, via muitas vezes a Mariah Carey falando como certo cantor era comercial, que venderia muito. Isso me irritava profundamente. A gente sabe que esse é um dos objetivos do programa, mas o modo com ela falava me incomodava. Quantos  músicos não estão entre os mais ouvidos e estão tão bem?!

Por outro lado, acredito que artistas podem sim continuar sendo fieis a seus ideias e à arte mesmo participando e até ganhando uma competição desse tipo. Nesses programas eles estão avaliando o canto, e não o tocar de instrumentos ou a composição. Isso não quer dizer que eles não permitam que essas habilidades sejam mostradas também.

David Cook, por exemplo, escreve a grande maioria de suas músicas. Kelly Clarkson também escreve bastante, inclusive foi ela a responsável por seu grande sucesso "Because Of You", e ao lançar seu terceiro álbum, My December, ela foi contra sua gravadora, que não queria que ela seguisse aquele estilo. A boyband One Direction está cada vez escrevendo mais e tomando maior controle sobre sua produção musical.



Conclusão? Cada artista sabe (ou deveria saber) o que é melhor para ele, o que o pode ajudar. Todos têm a escolha de ir e ficar na fila por horas correndo o risco de receber um não, ou postar seus vídeos no YouTube. Não foi assim que artistas como Justin Bieber e Karmin ganharam voz?

Artistas maravilhosos saem desses reality shows. Olly Murs, por exemplo, já disse que o tratamento que recebe nos Estados Unidos é melhor do que no Reino Unido, porque lá eles não o olham como 'o cara do X Factor'. Se eles gostam, eles escutam, enquanto que no Reino Unido as pessoas têm mais preconceito.

Não deixemos pré-conceitos bobos nos tirarem a chance de descobrir ótimos músicos e cantores.

sábado, 22 de junho de 2013

Contos de música: Wedding Bells

Para acompanhar a leitura

O telefone ainda pendia para fora do gancho. A voz dela ainda reverberava em sua mente.

“Oi, sou eu.”

Na mão uma dose de tequila, os olhos no calendário.

“Será em Junho. Tem gente achando que é muito cedo, mas eu o amo tanto, de verdade.”

Ele estava atordoado, sabendo que não era efeito da bebida. Era ela. A droga era ela.

Ele já havia pedido tanto, implorado que ela ficasse. Ficasse com ele. Mas seus caminhos nunca se encontraram. Duas estradas ansiando por caminharem juntas, apesar dos seus destinos diferentes.

Conhecê-lo…Ele não conseguia acreditar que ela havia dito isso. Ela queria que eles se conhecessem. O primeiro e o (esperado para ser) último amor.

Raiva. Por que não disse a ela tudo isso? Por que fingiu estar feliz, quando na verdade sentiu como se houvesse uma bala passando por seu peito. O último suspiro de um amante.

Aquele sonho era dele. Os dois numa casa com uma cerca branca e um jardim de rosas. Uma vez já havia até imaginado como seria seu discurso.

“Eu amo a mulher que você aparenta ser para os outros, a que você verdadeiramente é, e a que só eu consigo ver.”

Mais uma dose de tequila. Mais uma olhada no calendário.

Junho. “Como ela pôde? Aquele era o nosso mês.”

Porém, a verdade o atingiu. Não havia mais “nós”. Havia, somente, memórias; uma história. Nada presente. Só a dor.

Ele levanta-se e liga a televisão. Enquanto procura o controle remoto, lembra qual era o tema do filme que estava passando antes que ele desligasse e fosse atender o telefone. Tentou mudar logo de canal, mas tarde demais. Aquele som já havia começado, queimando aquele estúpido fio remanescente de esperança; sua marcha fúnebre.

Sinos de casamento.

_________________________________________________________

Enfim, eu, muitas vezes, ouço uma música e fico imaginando uma história. Impulsionada por minhas aulas de Teoria da Literatura na faculdade, eu decidi escrever um conto sobre Wedding Bells, uma das minhas músicas favoritas no momento. Depois do show dos Jonas Brothers agora em Março, em São Paulo, essa música não saía da minha cabeça, me impressionou muito mesmo, e a história veio, escrevi e tomei coragem de postar.

Wedding Bells deu a linha principal do conto, mas vocês que são fãs de Jonas Brothers ou simplesmente conhecem mais músicas deles, talvez tenham percebido que há trechos inspirados em Stay e Vesper’s Goodbye, do Nick Jonas & The Administration, e Just Friends, propriamente dos Jonas Brothers.

E já que foi no show que tudo atingiu um ápice, tá aí um vídeo do dia, da Laris Mehlich:


PS: Sei que não é nada genial,  tenho consciência que sou mais que uma novata, mas achei que fosse legal postar (:

Por favor, não use meu conto indevidamente. Entre em contato comigo.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Foto da Semana #2- Sarah Brust

Coincidentemente uma semana depois, chega a segunda edição da Foto da Semana. Para ver a primeira clique aqui, e se você ainda não conhece o projeto, clique aqui e saiba tudo.

A convidada de hoje é a Sarah Brust. Ela pediu que eu escolhesse a foto, e fiquei tão encantada com a imagem abaixo que não tive dúvida ao escolher. Confira a fotografia e a história abaixo:

Don't know why I never uploaded this here.

"Essa foto foi tirada na minha primeira noite em Orlando. Era dia 2 de Janeiro de 2012, se eu não me engano, e estava bem frio no Magic Kingdom. Eu estava esperando o show começar (há um show teatral/musical sempre à frente do castelo em determinados horários). O castelo ainda estava com a iluminação de Natal e Ano Novo e eu fiquei feliz que minha foto conseguiu retratar o brilho daquele lugar (por mais que, pessoalmente, é muito mais encantador). As luzes mudavam de cor, ora verde, ora violeta, ora azul. Foi um momento mágico literalmente e eu mal espero pelo dia em que eu possa voltar a tirar mais fotos desse lugar."

Maravilhosa, não? Não deixem de visitar a galeria da Sarah no Flickr e conferir mais de suas lindas fotos. Por favor, peça sua permissão ao pegar qualquer foto. A fotógrafa é ela e os direitos são dela.

Não deixem de conferir a próxima Foto da Semana! Está, mais uma vez, incrível.


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Dica do blog: Flyleaf




Flyleaf é uma banda de rock cristão. Alguns os consideram Metal Alternativo, outros Hard Rock, Post-grunge, Nu Metal e assim vai.

A banda se formou em 2000, nos Estados Unidos, no estado do Texas. Com o nome de Passerby, eles lançaram três EPs independentes. Seu primeiro álbum de estúdio se chamou Flyleaf, e foi lançado em 2003. Ouça uma das canções componentes do CD abaixo, além de um dos EPs:


Em 2009 a banda lançou seu segundo CD, Memento Mori (latim de lembra-te homem que morrerá um dia). Ouça 'Again', uma das minhas favoritas, que está nesse álbum:


No ano seguinte, lançaram o EP Remember to Live:


O CD mais recente se chama New Horizons, e marca a saída da vocalista Lacey Mosley da banda. Ela alegou que queria passar mais tempo com a família. Quem assumiu foi a ex-Vedera, Kristen May.




Eles se apresentariam pela primeira vez no Brasil no próximo dia 10 de Julho, no Carioca Club em São Paulo, mas aparentemente o show foi cancelado, já que as pessoas que compraram foram reembolsadas. 

sábado, 15 de junho de 2013

Choro (poema) + Errata

Choro

Ruas esburacadas
Chuva
Poças d'água

Natalia C. Oliveira

________________________________________________________________________________

ERRATA

Pessoal, no post Mas afinal, o que é a Copa das Confederações?, eu cometi dois erros.

Primeiro: Quem ganhou a última EuroCopa não foi a Itália, como dito no post, e sim a Espanha. Porém, como esta já tinha vaga garantida por ter sido campeã do mundo em 2010, quem se classificou foi o vice, portanto, a Itália.

Segundo: Como até já mencionado acima, quem ganhou a última Copa do Mundo não foi a Itália, e sim a Espanha.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Foto da Semana #1- Débora Casali

Hoje eu começo uma nova categoria no blog: a Foto da Semana. Não necessariamente colocarei todas as quartas só por hoje ser quarta-feira. A partir do próximo domingo vocês já podem esperar outra foto.

A Foto da Semana é o seguinte: Algum fotógrafo cede uma de suas fotografias e conta a história da imagem ou o que sente/pensa sobre foto.

Quem vai estrear este projeto é a Débora Casali, ela é designer e mora no Paraná. Eu entrei em contato com ela e, super atenciosa, ela aceitou participar e me mandou essa foto lindíssima, junto com o que acha dessa linda arte. Confira:

Senescence


Acredito que a fotografia vai muito além do equipamento que se usa. Fotografia é sensibilidade, criatividade, um olhar diferente. Tem uma frase do fotógrafo Henri Cartier Bresson que representa muito do que penso sobre a fotografia “A composição deve ser uma de nossas preocupações constantes, até nos encontrarmos prestes a tirar uma fotografia; e então, devemos ceder lugar à sensibilidade…”
Claro que a técnica, o equipamento são importantes, mas de nada adianta se não tiver sensibilidade de notar detalhes e momentos. A fotografia muito se assemelha com poemas, um bom poema, bem como uma boa foto são os que causam algum sentimento em que lê ou observa. A chave de tudo é o sentimento!

Se o objetivo era passar sentimento, missão cumprida, Débora. Ao abrir o link da foto no Flickr e me deparar com essa imagem, sorri instantaneamente. Fotografia linda e profunda.

Ah! E ainda aprendi uma palavra. Senescence é uma palavra em inglês que significa senescência, ou seja, velhice.

Começamos com chave de outro, não? Mas de onde veio isso tem muito mais: não deixe de visitar a galeria da Débora no Flickr, inclusive para ver a foto de hoje em tamanho original. Acho difícil você não acabar adicionando-a como contato, é uma foto mais bela que a outra.

Se quiser participar, clique em Projeto Foto da Semana e saiba como.



sexta-feira, 7 de junho de 2013

Dicas para aspirantes a tradutor e intérprete

Eu já comentei sobre estar na faculdade em posts anteriores, mas nunca revelei meu curso. Pois bem, se vocês estão pensando que faço Letras-Tradutor e Intérprete, acertaram. Estou no primeiro ano,e uma das disciplinas é Teoria e Técnicas de Tradução. Parte da metodologia da minha professora é nos mostrar entrevistas feitas pelo tradutor Petê Rissatti com outros tradutores consagrados. Isso é de incrível valor, porque é como receber dicas pessoalmente. As dicas que colocarei agora são retiradas dessas entrevistas ( que infelizmente não se encontram mais online) e também de outras fontes, todas reveladas. Espero que gostem.


  • Isa Mara Lando: É preciso praticar bastante, como em qualquer outra profissão. Ler, escrever e pesquisar, ampliar o vocabulário em inglês. Ler os bons autores e bons jornalistas nas duas línguas, inglês e português. Hoje em dia tudo é tão fácil- o New York Times está ao alcance de qualquer um, basta ter internet. Nos sites onelook e thefreedictionary temos acesso imediato e gratuito aos melhores dicionários, como Oxford, Cambridge, American Heritage, dicionários etimológicos etc.
           Acho importantíssimo morar algum tempo em país de língua inglesa, fazer um        intercâmbio ou pelo menos uma viagem longa por lá.
              (...) É preciso primeiro ter algo de sólido para oferecer- viajar, ler, estudar, adquirir   conhecimentos, te ruma cultura geral ampla e variada.





  • Carolina Caires Coelho: Todo tradutor que eu passo a saber da existência é procurado na internet por minha pessoa. Eu achei a Carolina no LinkedIn, e em resposta a um comentário meu, ela disse que por ser um mercado difícil, quanto mais cedo você começar, melhor. Olha o que ela diz na entrevista com o Petê Rissatti: (...) para cada hora de estudo do idioma de partida, "gaste" duas estudando o idioma de chegada. Leia muito sobre tudo. Duvide sempre de si mesmo; consulte dicionários, gramáticas, todos os recursos possíveis. Não tem muita experiência? Ninguém nasce experiente em nada. Você vai cometer erros; todos nós passamos por eles, em qualquer profissão e em qualquer nível de desenvolvimento. Mas compense a falta de traquejo com outros predicados: pontualidade, profissionalismo e força de vontade são um bom ponto de partida.


  • Quando for pensar na sua especialização, veja algo que você saiba MUITO, que talvez já tenha feito um curso específico naquela área, fora do mundo tradutório. Não basta ter feito alguns projetos em determinada área para se dizer especializado. (Translation Times)

  • Beatriz Rose: É uma excelente opção para alguém que, além de dominar os idiomas, seja detalhista e goste (ou pelo menos não se importe) de trabalhar sozinho. E uma coisa é certa: não há monotonia em termos de assuntos!


  •   No começo de Maio, a primeira intérprete do Brasil, Ângela Levy, esteve na Semana de Letras da Universidade São Judas Tadeu (meu cantinho), e dentre maravilhosas histórias, ela disse que nossa concabina (a outra intérprete que fica com você na cabine) deve ser sempre de confiança, alguém que você já conheça e estejam acostumadas a trabalhar juntas. Além disso, ela nos alertou que devemos sempre atualizar nosso vocabulário (eu tenho um caderninho de vocabulário para o inglês, espanhol e, como outra palestrante da semana salientou a importância, um também para o português).


  •  Adriana Machado: Interpretação não é coisa do outro mundo. Não é preciso ser uma espécie rara para conseguir. Mas também não é algo que você vá aprender traduzindo a CNN na sala de casa para a sua mãe. É necessário treinamento específico e o Brasil tem excelentes instituições que oferecem teoria e prática de alto nível. Cultura geral é outro item importantíssimo, leia tudo que aparece pela frente, nunca se sabe que exemplo ou historinha o palestrante vai usar para ilustrar a sua fala. E conheça pessoas. Seu colega é sua principal vitrine e seu maior aliado.


  • E se me permitem, agora é a vez da minha humilde dica. É muito importante praticar, então por que não entrar de colaboradora em sites? Aqueles amadores mesmo, onde você não vai ganhar dinheiro, mas vai aprender muito, como eficiência com rapidez, vocabulário, cultura, e  vai ter que passar por uns bons bocados com alguns enunciados truncados e aparentemente impossíveis de se traduzir, seja por causa das palavras, estrutura ou contexto. Essas vagas geralmente aparecem em fansites (já comentei em outro post que sou uma das tradutoras do onedirectionbr.com). Procure sites dos seus artistas favoritos e veja se eles estão precisando de alguém. E sobre interpretação: eu sempre ouço que ter excelente memória é essencial, então ativem sempre suas mentes!






quarta-feira, 5 de junho de 2013

Sobre um fim

Eu me recordo ora com saudade, ora com tristeza, ou ainda felicidade, raiva, frustração, indignação. Eu me recordo de quando ela ainda estava do meu lado, de quando eu ainda tinha a tal por minha melhor amiga.

E, afinal, quando foi que o ponto e vírgula veio? Pois é assim que eu vejo nossa história, cara amiga: nem acabada nem andando normalmente. Em qual momento a nossa animação foi se desfazendo, quando foi que nos esquecemos uma das outras? E será que esquecemos?

Eu ainda não. Não totalmente.

É nessa incerteza que a gente anda vivendo, você não consegue ver? Meias afirmações, promessas vazias, encontros distantes. Afinal, o que é que há? Eu estou em urgência de saber. Mas talvez essa questão não te afete tanto, por ter conseguido pessoas, que, admito, são maravilhosas, como amigos. Eu fiquei sem espaço, certo?

Eu me sinto uma idiota por ainda insistir. Pessoas crescem, e às vezes crescem separadas uma das outras. Normal. Porém, ao mesmo tempo que não consigo mais te chamar de melhor amiga, não me conformo em ter de dizer adeus àquelas conversas, àquelas risadas, àquela amizade.

E pra terminar esse despejo de pensamentos: I need you to set me free ♪

domingo, 2 de junho de 2013

Mas afinal, o que é a Copa das Confederações?



A Copa das Confederações 2013 vem aí! A partir do dia 15 de Junho, o Brasil será a casa dos jogos das seguintes seleções: Japão, México, Itália, Espanha, Uruguai, Taiti e Nigéria e, claro, o Brasil.

Mas quem escolhe esses países? Por que grandes nomes do futebol mundial não estão? Como isso funciona?



Fácil, fácil. Participam:


  • os seis campeões continentais
         Copa das Nações Africanas (CAF)- este ano representado pela Nigéria
         Copa Ouro (CONCACAF)- este ano representado pelo México
         Copa América (CONMEBOL)- este ano representado pelo Uruguai
         Copa da Ásia (AFC)- este ano representado pelo Japão
         EuroCopa (UEFA)- este ano representado pela Espanha
         Copa das Nações da Oceania (OFC)- este ano representado pelo Taiti


  • O atual campeão do mundo, que atualmente é a Itália



  • O anfitrião do evento: em 2013, nosso Brasil.
O campeonato é organizado por grupos e eliminatórias. O grupo A é composto por Brasil, Japão, México e Itália. Já o grupo B contém a Espanha, Uruguai, Taiti e Nigéria. 

O primeiro jogo será entre Brasil e Japão, às 16:00 do dia 15 de Junho (sábado).

Para saber mais, acesse o site oficial da Copa das Confederações da FIFA.

E aí, preparados para torcer pela nossa seleção?

Se usar, dê os devidos créditos

Fonte: Wikipedia e FIFA

ERRATA

Primeiro: Quem ganhou a última EuroCopa não foi a Itália, como dito no post, e sim a Espanha. Porém, como esta já tinha vaga garantida por ter sido campeã do mundo em 2010, quem se classificou foi o vice, portanto, a Itália.

Segundo: Como até já mencionado acima, quem ganhou a última Copa do Mundo não foi a Itália, e sim a Espanha.