sexta-feira, 31 de maio de 2013

O santo que não acreditava em Deus X Deus é brasileiro

Não, esse não é um texto sobre religião.

Eu vim aqui para falar do conto 'O Santo Que Não Acreditava em Deus', de João Ubaldo Ribeiro. Como eu já disse no post passado, eu estou lendo o livro 'Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século', que é dividido em décadas. Tal conto faz parte dos anos 80, e é muito bom.

No começo eu não estava gostando muito porque só falava de peixe e eu não via nada de santo nem de Deus. Mas aí Deus apareceu e eu fui "mergulhando" na história. Fui lendo, lendo, e reparei que já conhecia aquela história. E é aí que entra Deus é Brasileiro. O filme estrelado por Antônio Fagundes é inspirado nesse conto.

No conto e filme, Deus procura por um santo, e esse santo não...Bem, vocês já sabem. A figura de Deus é bem irreverente e a narrativa é bem fluida. Só acho que o nome do filme deveria ser o mesmo do conto, mas enfim...

Pra quem quer conferir o conto (eu super recomendo), pode lê-lo aqui. Abaixo, o trailer do filme (está em baixa qualidade, mas foi o único que eu encontrei):




quarta-feira, 29 de maio de 2013

Tag Literária: 7 pecados capitais da leitura


Hoje eu trago uma adaptação das TAGs feitas no YouTube. Para quem não sabe, tags são, na maioria das vezes, perguntas feitas por algum canal literário. Ele mesmo responde e pode indicar outros para responderem também. Essa ideia de fazer uma tag escrita eu peguei do blog Rehab Literária, e eu fiquei sabendo dessa tag específica pelo canal Minha Estante. Vamos lá?

1. Ganância: qual é seu livro mais caro? E o menos caro?
Se formos considerar TODOS os tipos de livro, o mais caro é um dos meus dicionários de inglês: meu Dictionary of Contemporary English da Longman me custou R$122,00.

O menos caro deve ter sido algum que eu comprei em sebo, vou chutar O Seminarista, creio que não chegou a R$10,00.

2. Ira: com qual autor você tem uma relação de amor/ódio?
Nicholas Sparks. Acho que ele escreve muito bem, e pelo menos os dois livros que eu li dele (The Last Song e Querido John) foram dois dos que mais me emocionaram. Porém, se você for analisar a obra por um todo, há tantas coisas similares (até aquelas capas sempre com um casal se olhando apaixonadamente) que cansa.


3. Gula: que livro você devorou sem vergonha alguma?
Creio que todos os livros do Harry Potter. Acho que nunca cheguei a demorar duas semanas para ler nenhum da série.


4. Preguiça: qual livro você tem negligenciado devido à preguiça?
Um tipo de livro muito fácil de ser negligenciado é o de contos. Porque você lê um e não há necessidade de ler o outro. Não é que nem um romance, que uma coisa liga a outra. Ainda mais quando você não gosta muito de um conto e fica desanimada para ler o seguinte. Pois bem, agora eu estou lendo Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Séculos, e apesar de às vezes isso acontecer, eu estou bem mais aplicada agora, lendo sempre que dá: no ônibus, antes da aula, indo pra casa da vó e assim vai. O livro é muito bom, então ajuda.


5. Orgulho: que livro tem mais orgulho de ter lido?
Não vai dar para citar só um: série Harry Potter porque já é um clássico, é um mundo paralelo cheio de detalhes que a maioria de nós meros mortais nunca imaginaríamos, e é um orgulho fazer parte disso; também tenho que citar alguns clássicos brasileiros, afinal nossa literatura é muito menosprezada: Morte e Vida Severina, Vidas Secas e Ciranda de Pedra são incríveis e me dá muito orgulho saber apreciar isso.


6. Luxúria: quais atributos você acha mais atraentes em personagens masculinos e femininos?
Nunca tinha pensado nisso antes, mas vamos lá. Acredito que ter atitude já é um atributo e tanto. O Leo de Ame O Que É Seu, da Emily Giffin, é um personagem que eu considero atraente. Femininos...não sei. Versão feminina de Leo? rs


7. Inveja: que livros você gostaria de receber de presente?
Iiih, muitos. O primeiro é o Burnin Up: On Tour With The Jonas Brothers. Uma Sombra Passou Por Aqui que é muito raro e consequentemente caro. Os próximos são porque não os acho em biblioteca nem sebos perto de mim: Guerreiros da Esperança, Garotas de Vidro, Precisamos Falar Sobre o Kevin, O Concorrente, A História Sem Fim, Coração Ferido e A Resposta. Mas qualquer outro da minha lista de Vou Ler eu aceito ;)


É isso gente! Se quiserem responder a tag inteira ou só algumas perguntas nos comentários, sintam-se à vontade; eu lerei tudo. Espero que tenham gostado e até a próxima!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Dica do blog: Emeli Sandé

Emeli Sandé é um cantora e compositora escocesa e está fazendo um grande sucesso no Reino Unido.



Apesar de ter estudado Medicina, decidiu focar na sua carreira musical (felizmente para nós).

Ano passado ela foi um dos destaques do BRIT Awards, algo como o Grammy do Reino Unido. Ela foi indicada em 'Artista Revelação Britânica' e venceu na categoria 'Escolha da Crítica'.

Eu vi a letra de uma música dela (Next To Me) num mural da minha faculdade e amei, no dia seguinte finalmente ouvi o que já tinha escutado falar, e constatei que realmente ela era incrível. Sua voz é suave e forte ao mesmo tempo, passa emoção.

Assista abaixo o clipe para Next to Me.


Read All About At It Part III


Comentem aí: já tinham ouvido falar nela? Se sim, qual sua música favorita? Se não, gostou da diquinha do blog?

sexta-feira, 24 de maio de 2013

O Poder da Organização

Essa quarta palavrinha mágica aí do título tem se revelado essencial à minha "nova vida". Sem ela, algo fica bem defasado: ou a vida acadêmica ou o lazer.

Diferente, porém, é estabelecer prioridades. Nas férias, minha prioridade será o lazer, sem me desfazer dos estudos. Agora, o mais importante é a parte acadêmica, mas não esqueço do meu lazer.

Um dos "atos organizacionais" que eu já fiz foi listar um livro de cada bibliografia das minhas matérias: alguns poucos eu leio inteiro, outros servem para as provas, e ainda outros que são só para ter outro ponto de vista e aprofundamento no que vejo em sala de aula.

Também parei pra pensar e vi que era um absurdo eu estudar numa escola de inglês que tem uma biblioteca (mais para uma estante, mas tudo bem), e NUNCA ter pegado nenhum livro. Agora todo semestre pegarei pelo menos um, além de compensar os outros três semestres que não aproveitei essa vantagem.

Falando nisso, aí do lado tem o gadget do meu skoob, onde eu já marquei 87 livros para ler. Decidi que agora eu tenho uma ordem de leitura; se eu for pegando o que me der na telha, sempre vão haver uns que ficarão para trás. A ordem é a seguinte: livros marcados antes, lidos antes (exceção para livros do inglês e da faculdade).

Claro, uma pessoa que faz tudo isso também tem uma pasta só para os saquinhos das folhas (um para cada matéria), e uma pasta só para as apostilas e documentos importantes. Eu ainda tenho um caderno para anotações e resumo para as provas. Isso aconteceu sem querer, mas foi uma coincidência muito feliz: assim é mais fácil entender, além de que tenho certeza que isso me ajudará nas provas semestrais e finais.

Também tive que praticar o desapego e parar de acessar fansites e meu tumblr todo dia. Quando tenho tempo, ótimo; quando não, tchau, até a próxima.

Além da faculdade, eu ainda ganhei outra responsabilidade esse ano: ser uma das tradutoras do One Direction Brasil.

Pois é, minha gente, novo ano, novos modos de vida (tudo bem, já é quase metade do ano). Onde eu quero chegar é: precisamos arrumar um tempinho para tudo, e não é necessário se descabelar por isso. Deixar de fazer algumas coisas, fazer outras, tudo isso é muito saudável, e com uma boa organização, bem mais fácil.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Resenha: A Hospedeira, Stephenie Meyer


"Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam."

Pois bem, eu queria comprar um livro que unisse o útil ao agradável, ou seja, que me ajudasse no espanhol (sim, eu li em espanhol) e que fosse uma leitura agradável. Comprei este pois estava por uns 16 reais, é um livro grande, e também por ter visto alguns elogios sobre ele. 

Porém, quando vi a classificação média dos usuários do Skoob, fiquei com um pé atrás, quase me arrependendo de ter comprado o tal livro alienígena da Stephenie Meyer.

Comecei a ler, e vi que não era tão ruim assim. Havia umas partes bem paradinhas, não muuuito interessantes, mas nada ruim. Do meio do livro até o final, ele melhora muuito, do tipo preciso-saber-o-que-acontece. O companheirismo da Melanie e da Wanderer (Peregrina), a sutil aproximação do Ian, e esse conflito inevitável de duas pessoas queridas dividindo o mesmo corpo, fazem de The Host uma boa leitura. Sabe esse sentimento de "como vão resolver isso?"? Então, achei muito bem feito.

Aliás, é assim que eu me sinto em relação ao filme: como irão fazer a voz da Melanie na cabeça da Wanda (Peg)?

Enfim, só gostaria de adicionar que é bem mais que uma história romântica; o enredo é mais existencial, com a mensagem de que pessoas diferentes podem e devem conviver juntas. É tudo uma questão de alma e amor.

Recomendo.